Revisão Sistemática para Artigos: Métodos, Análises e Critérios de Seleção

Guia de Método de Revisão Sistemática
Aprenda vários pontos importantes para fazer uma Revisão Sistemática com Rigor Metodológico em sua pesquisa

Quando escrevemos um artigo científico, podemos escolher como um método de pesquisa a revisão sistemática. Ou seja, a revisão sistemática será o meio pelo qual coletaremos os dados para escrever um determinado artigo sobre um determinado tema.

Vale destacar que se trata de uma revisão sistemática de outros artigos, escritos e livros científicos. E não de textos opinativos, dado o rigor metodológico que a pesquisa se propõe.

→ Confira a seguir os detalhes para entender mais sobre Revisão Sistemática e sobre como realizar esta para seu artigo científico. Neste guia, cobrimos os itens abaixo mencionados em nosso índice.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Para começar: vamos falar de artigo científico?

Introdução ao tipo de texto em Artigos Científicos
Pensando em Artigos Científicos com Revisão Sistemática

De maneira breve, um artigo científico é um texto que expõe uma hipótese, ou uma análise, ou um levantamento bibliográfico com sua crítica, ou uma revisão sistemática.

Independentemente do que o texto aponte, ele sempre será baseado na ciência, ou seja, em fatos verificáveis.

Portanto, um artigo científico não é construído a partir de dados que a pessoa inventa, mas, é algo que pretende contribuir com uma certa área e se apoia em conhecimentos já produzidos, seja para refutá-los ou para comprová-los.

Dito isso, vamos ao ponto principal deste conteúdo.

O que é uma Revisão Sistemática?

Conceito e Significado de Revisão Sistemática
Entenda o que é uma Revisão Sistemática

Utilizamos a revisão sistemática quando precisamos reunir informações sobre diversas pesquisas em um único conteúdo. Assim, ela pode nos trazer informações sobre um determinado ponto, pois as reúne em uma única leitura.

Além disso, uma revisão sistemática também pode colocar a prova determinados escritos e confrontá-los com outros.

Veja que a revisão sistemática não é a mesma coisa que um levantamento bibliográfico, pois não é só o levantamento do que já foi produzido sobre um tema, mas há um critério que será utilizado para analisar os escritos.

Ou seja:

 

A revisão sistemática é o que permite avaliar e comparar diferentes estudos, distinguindo-se de um levantamento bibliográfico por aplicar critérios rigorosos de análise.

 

Para exemplificar melhor a ideia, podemos pensar uma polêmica científica como a do consumo do leite fazer mal ou não à saúde.

Vale destacar que estamos usando esse exemplo somente para ilustrar essa questão sem querer fazer qualquer julgamento ou análise detalhada sobre este tema tão delicado e caro aos estudiosos da saúde.

Bom. Ao fazer uma revisão sistemática sobre esse tema, teremos de criar critérios de seleção da produção sobre ele.

Assim, podemos definir um levantamento estatístico de quanto artigos sobre o assunto foram produzidos nas décadas de 1980 e comparar com o que foi produzido na primeira década dos anos 2000.

Suponhamos que esse levantamento seja realizado no depositório de artigos da Scielo.

Assim, a partir da seleção de determinadas palavras-chave sobre o assunto, será possível encontrar um determinado número de artigos.

Caberá ao pesquisador fazer a leitura dos mesmos e criar categorias para separá-los.

Podemos primeiro analisar a quantia de produção.

Suponhamos que na primeira década de 2000 a produção dos artigos tenha sido maior.

A partir disso, fazemos um levantamento estatístico do percentual dos artigos que era a favor do leite e os contra.

Podemos também criar critérios para aqueles que definem o consumo de leite a partir até determinada faixa etária e assim por diante.

Mas, como determinar esses critérios?

Isso dependerá da capacidade do pesquisador em realizar a leitura dos artigos e identificar pontos comuns e exceções que existem nos artigos que ele selecionou.

Mas atenção. Uma revisão sistemática não é somente estatística com a contagem do que foi dito ou não em um artigo.

Ela pode ser utilizada também para demonstrar dados sobre regiões a partir das análises das conclusões que certos estudos chegam em determinado local, comparando com os feitos em outro local.

A revisão sistemática também pode comparar metodologias, demonstrando como a mesma metodologia pode chegar a resultados diferentes, mesmo estudando um mesmo tema quando produzida sob circunstâncias diversas.

Ou seja, como você já deve ter percebido, a revisão sistemática te permite uma série de caminhos.

Entendendo melhor a diferença entre Revisão Sistemática de Levantamento Bibliográfico

Diferença entre Revisão Sistemática de Levantamento Bibliográfico
Conheça a diferença entre Revisão de Literatura e Revisão Sistemática na pesquisa

Uma compreensão clara da distinção entre revisão sistemática e levantamento bibliográfico é fundamental para qualquer pesquisador iniciante na ciência.

 

Ambos são métodos de pesquisa que compilam e analisam literatura existente sobre um tópico específico, mas diferem significativamente em termos de objetivo, abordagem e aplicação.

 

Veja:

Levantamento Bibliográfico

Este método envolve a coleta de uma ampla gama de publicações relacionadas a um tema específico para fornecer uma visão geral do que já foi explorado e discutido na área.

O levantamento bibliográfico não requer necessariamente critérios de seleção rigorosos ou uma análise metódica dos estudos.

Ele serve mais como um panorama, que ajuda a identificar as principais teorias, metodologias e conclusões dentro de um campo de estudo, sem se aprofundar na avaliação crítica de cada fonte.

Revisão Sistemática

Diferentemente do levantamento bibliográfico, a revisão sistemática demanda uma abordagem metodológica rigorosa e pré-definida para identificar, selecionar e avaliar criticamente todas as pesquisas relevantes sobre um tema específico.

Esse método inclui:

  • Definir uma pergunta de pesquisa clara e objetiva.
  • Estabelecer critérios de inclusão e exclusão transparentes e justificados.
  • Realizar uma busca abrangente em múltiplas bases de dados.
  • Avaliar a qualidade dos estudos incluídos.
  • Sintetizar os resultados de forma que responda à questão de pesquisa.

O objetivo é sintetizar os resultados dos estudos selecionados para responder à questão de pesquisa de forma objetiva e replicável.

Ficou mais claro?

A revisão sistemática é particularmente valiosa em campos como a medicina e as ciências da saúde, onde decisões baseadas em evidências são cruciais.

Ela permite aos pesquisadores identificarem tendências, confirmar ou questionar a eficácia de intervenções e identificar lacunas no conhecimento existente.

Dessa forma, contribui significativamente para a base de evidências em um campo de estudo, fornecendo uma síntese confiável e imparcial da literatura disponível.

Ao entender essas diferenças fundamentais, os pesquisadores podem escolher o método mais adequado às suas necessidades específicas de pesquisa, garantindo que seus estudos sejam tanto rigorosos quanto relevantes.

Este esclarecimento não apenas ajuda a entender o valor e a aplicabilidade de cada método, mas também reforça a importância do rigor metodológico na pesquisa científica.

Ao adotar essas práticas, os pesquisadores podem assegurar que suas revisões sistemáticas sejam uma contribuição valiosa e confiável para o conhecimento científico.

Como Começar uma Revisão Sistemática para sua Pesquisa?

Saiba como fazer uma Revisão Sistemática
Por onde começar? Dê os primeiros passos de como fazer uma Revisão Sistemática de qualidade

Apesar de ter vários caminhos a seguir, como você pode começar?

Antes de mais nada, é preciso que você já tenha definido o seu tema e objeto de pesquisa.

Em seguida, elenque as palavras-chave que possam estar relacionadas ao tema. Isso te ajudará a encontrar as produções acadêmicas relacionadas ao assunto.

Em seguida, pense em qual base de dados você fará o levantamento dessa produção.

Hoje em dia, temos várias bases de dados de artigos científicos online, como o próprio Scielo citado anteriormente.

Assim, para você ter critério e método, é preciso que você selecione um desses. Afinal de contas, você não conseguirá dar conta de todos os artigos já produzidos no mundo sobre um determinado assunto.

Você pode aprender a usar a Inteligência Artificial para isso, acessando as aulas do Professor Fabio Frossard. Conheça aqui.

Lembre-se de ser pontual e ter um bom recorte para que a sua revisão sistemática seja pertinente para a sua área.

Quando queremos abraçar tudo o que já foi produzido, acaba que nos perdemos e a revisão não consegue ser concluída ou fica esparsa.

Assim, de maneira resumida podemos elencar alguns passos que podem te ajudar a começar e a dar continuidade em sua revisão sistemática:

  1. Qual o tema da sua pesquisa;
  2. Qual o objeto/pergunta que sua pesquisa está fazendo;
  3. Quais são os bancos de dados que você usará para realizar o levantamento da produção sobre o objeto e tema;
  4. Quais são os critérios de seleção dessa produção (ano, cidade, país, universidade etc.);
  5. Quais são as palavras-chaves relacionadas ao tema e a sua pergunta que são possíveis de levantar;
  6. Quais serão os seus critérios de análise das publicações que você selecionará (conclusão, desenvolvimento, metodologia, dados usados etc.);
  7. Defina um cronograma de quando fará cada levantamento e análise do conteúdo.

Seguindo esses passos, você já terá um bom trabalho e conseguirá dar um bom início para a sua pesquisa.

E lembre-se de sempre ter cada um desses pontos bem justificados. Afinal de contas, estamos falando da produção de um trabalho rigoroso. Não é possível que você justifique a escolha de uma palavra-chave somente dizendo que ela é relevante, é preciso explicar a relevância da mesma, ok?

Profundidade e Rigor Metodológico: Análise Crítica e Síntese

A revisão sistemática não se limita à agregação de estudos.

Ela também envolve uma análise crítica rigorosa da qualidade metodológica de cada estudo incluído.

Esta etapa é vital para entender o peso e a confiabilidade dos trabalhos selecionados e das evidências disponíveis.

A síntese dos dados, seja através de métodos qualitativos ou quantitativos, como a meta-análise, permite a geração de ideias novas e relevantes sobre a questão de pesquisa.

Aplicação Prática

Além de contribuir para o corpo de conhecimento acadêmico, as revisões sistemáticas têm implicações práticas significativas.

 

Revisões sistemáticas informam a prática clínica, a formulação de políticas públicas e a tomada de decisões em várias áreas, fornecendo uma base de evidências sólida e confiável para orientar ações e intervenções.

 

 

Em resumo, a revisão sistemática é uma ferramenta poderosa na pesquisa acadêmica, oferecendo uma abordagem metodológica rigorosa para a síntese de evidências.

Ao entender e aplicar corretamente os princípios da revisão sistemática, os pesquisadores podem contribuir significativamente para o avanço do conhecimento em sua área de estudo.

Inclusão de Estudos Primários e Cinza

Ao conduzir uma revisão sistemática, é fundamental não limitar a pesquisa apenas aos artigos publicados em periódicos científicos tradicionais.

Para obter uma compreensão abrangente e multidimensional do tema investigado, é essencial incorporar uma variedade de fontes, incluindo estudos primários e literatura cinza.

Os estudos primários, diretamente conduzidos com dados experimentais ou observacionais, oferecem informações imediatas sobre os temas pesquisados, enquanto a literatura cinza, que engloba teses, dissertações, relatórios técnicos, documentos de conferência e outros materiais não convencionais, muitas vezes contém dados valiosos que não estão disponíveis em publicações periódicas.

Assim, a inclusão de literatura cinza na revisão sistemática tem várias vantagens.

Primeiro, ela pode revelar estudos e resultados que ainda não foram publicados em periódicos revisados por pares, oferecendo uma visão mais atualizada e menos filtrada do campo de estudo. Além disso, a literatura cinza frequentemente aborda tópicos altamente específicos ou emergentes que podem não estar presentes na literatura acadêmica convencional.

Isso é particularmente útil em áreas de pesquisa de rápido desenvolvimento, onde a agilidade da disseminação de informações é crucial.

Ao considerar estudos primários, a revisão ganha em robustez e profundidade, pois esses estudos fornecem a base empírica sobre a qual a pesquisa científica é construída.

A análise direta de dados primários permite aos pesquisadores avaliarem a metodologia, resultados e conclusões de estudos individuais de maneira crítica, contribuindo para uma compreensão mais matizada do tema.

No entanto, ao incluir estudos primários e literatura cinza, é importante adotar critérios rigorosos de seleção e avaliação para garantir a confiabilidade e relevância dos materiais incluídos.

Isso pode envolver a avaliação da metodologia de pesquisa, da qualidade dos dados e da relevância dos estudos para a questão de pesquisa.

A transparência na seleção e inclusão de tais materiais é crucial para manter a integridade da revisão sistemática.

Assim, a inclusão de estudos primários e literatura cinza enriquece significativamente o escopo e a profundidade da revisão sistemática, proporcionando uma visão mais completa e matizada do tema em investigação.

Essa abordagem holística não apenas amplia os horizontes da pesquisa, mas também fortalece as conclusões ao incorporar uma gama mais ampla de evidências.

Exemplos de Artigos Científicos realizados com Revisão Sistemática

Exemplos de Artigos Científicos realizados com Revisão Sistemática
Conheça dois exemplos para ter como modelo

Seguem 2 exemplos de Artigos Científicos realizados com Revisão sistemática.

  • Fatores associados à hipertensão arterial: uma revisão sistemática

Este estudo identifica os principais fatores epidemiológicos associados à hipertensão arterial sistêmica (HAS) através de uma revisão sistemática. A metodologia incluiu uma busca abrangente em bases de dados como PubMed, Lilacs, Scopus e Web of Science, aplicando critérios rigorosos de inclusão e exclusão para selecionar estudos observacionais que determinam a associação entre HAS e diversos fatores, como demográficos, socioeconômicos, antropométricos e de estilo de vida.

Fonte: https://www.scielo.br/j/csc/a/S3rGV7YyJgStLFgcBQxjkfK/

  • COVID-19 e a abordagem One Health (Saúde Única): uma revisão sistemática

O estudo realizado teve como objetivo avaliar as estratégias da abordagem One Health (Saúde Única) que estão sendo adotadas globalmente para enfrentar a pandemia da COVID-19, por meio de uma revisão sistemática da literatura sobre a aplicação dos conceitos de Saúde Única no contexto da pandemia

Fonte: https://www.redalyc.org/journal/5705/570566811016/html/

Agora, comece a pensar sobre a sua revisão sistemática e sempre tente manter o foco para não se perder em meio a tantos dados. Boa pesquisa!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Usamos cookies para uma melhor experiência em nosso site. Você pode aceitar nossos termos ou saber mais sobre nossa Política de Privacidade e de Cookies. We are committed to protecting your privacy and ensuring your data is handled in compliance with the General Data Protection Regulation (GDPR).