Pesquisar
Close this search box.

Aprenda Pesquisa Empírica: Guia Prático com 2 Exemplos

Pesquisa Empírica: significado, aplicação, exemplos e construção de pesquisa
O caminho definitivo para entender cada parte da elaboração de uma Pesquisa Empírica

Seja você um pesquisador ou acadêmico, certamente já se deparou com o termo Pesquisa Empírica. Mas, o que exatamente significa Pesquisa Empírica? E o mais importante: por que ela é considerada um pilar fundamental na pesquisa acadêmica e científica?

Mais que responder a estas questões, este artigo visa fornecer um guia prático – com exemplos passo a passo – sobre como elaborar Pesquisas Empíricas seguindo um rigor metodológico.

Dada a sua importância e aplicabilidade em diversos campos do conhecimento, entender os princípios básicos e avançados da Pesquisa Empírica é fundamental para qualquer pesquisador.

Como um Guia completo, exploraremos o conceito, os métodos, a coleta de dados, como analisar e interpretar esses dados.

Além, claro de 2 exemplos práticos para ilustrar nosso guia.

Aproveite!

→ Veja nosso índice de hoje:

O Que é Pesquisa Empírica?

Definição didática de Pesquisa Empírica
Conceito e significado de Pesquisa Empírica

Quer um exemplo bem didático sobre o conceito e significado de Pesquisa Empírica?

 

Imagine só que você está curioso para saber como as pessoas se sentem ao usar transporte público durante a pandemia. Você poderia ler artigos e teorias sobre o assunto, não é mesmo? Mas, e se você decidisse pegar um caderno e sair entrevistando os passageiros? Agora sim, você estaria fazendo uma pesquisa empírica!

 

Ficou fácil entender, certo?

Pesquisa Empírica é um método de investigação que se baseia na coleta de dados através da observação direta ou da experiência prática.

Diferentemente de abordagens que se fundamentam exclusivamente em teorias ou argumentos filosóficos, a Pesquisa Empírica busca evidências concretas para sustentar suas conclusões.

Este método é amplamente utilizado em diversas disciplinas, incluindo ciências sociais, saúde, educação e negócios, para citar apenas algumas.

 

Sendo ainda mais objetivo no significado: o objetivo principal da Pesquisa Empírica é entender e explicar fenômenos através da análise de dados coletados.

Estes dados podem ser quantitativos, como estatísticas ou medidas, ou qualitativos, como entrevistas ou observações.

O rigor na coleta e análise desses dados é crucial para a validade e confiabilidade dos resultados.

Portanto, é comum o uso de instrumentos padronizados, amostras bem definidas e métodos estatísticos robustos para garantir a qualidade e o rigor metodológico da pesquisa.

Entendeu a importância desta forma de pesquisar?

A Pesquisa Empírica é diferente da Pesquisa Teórica!

Embora a Pesquisa Empírica e a Pesquisa Teórica sejam ambas fundamentais para o avanço do conhecimento, elas diferem totalmente em suas abordagens e objetivos.

Veja abaixo a diferença da Pesquisa Teórica e da Pesquisa Empírica.

  • A Pesquisa Teórica foca na construção e análise de teorias ou modelos. Ela se baseia em dados já existentes, literatura acadêmica ou raciocínio lógico para formular hipóteses ou construir teorias. Não há necessariamente a coleta de novos dados, mas sim uma interpretação ou reinterpretação de dados ou teorias existentes.
  • Diferentemente, a Pesquisa Empírica é orientada para a coleta de novos dados para responder a perguntas específicas. Ela pode, eventualmente, levar à formulação de novas teorias, mas seu foco primário está na obtenção de evidências empíricas para responder a questões práticas ou validar teorias existentes.

Ficou mais claro?

Enquanto a Pesquisa Teórica busca expandir o entendimento através da construção de modelos conceituais, a Pesquisa Empírica procura validar ou refutar esses modelos através da análise de dados reais.

Mas ambas são complementares e frequentemente utilizadas de forma conjunta em pesquisas mais profundas.

Como Realizar uma Pesquisa Empírica Passo a Passo?

Etapas para conduzir Pesquisa Empírica detalhadamente
Planejamento e execução de Pesquisa Empírica: Um guia passo a passo!

Sem querer assustar, realizar uma Pesquisa Empírica de qualidade requer um planejamento bem cuidadoso e uma execução meticulosa.

Mas vamos deixar isso mais claro, pode ficar tranquilo(a).

A seguir, você terá um guia passo a passo, que vai abranger desde a escolha do tema até a análise dos dados coletados.

Se você quiser aprofundar em cada etapa, você também terá links para outros artigos de nosso site, que é especialista em artigos científicos!

Aproveite!

A Escolha do Tema e Formulação da Hipótese em uma Pesquisa Empírica

O primeiro passo em qualquer pesquisa é a escolha do tema.

Está bem, você já tem esta informação. rsrsrsrs

Este deve ser não apenas de interesse para o pesquisador, mas também contribuir de forma significativa para o campo de estudo.

→ Se quer dicas para escolher um tema, a dica é ler o texto: 8 PASSOS PARA ESCOLHER UM TEMA PARA ARTIGO CIENTÍFICO DE QUALIDADE

Uma vez escolhido o tema, a próxima etapa é a formulação da hipótese.

A hipótese é uma afirmação testável. Ela serve como a espinha dorsal da sua pesquisa e deve ser clara, específica e mensurável.

Quer um exemplo? Se o tema é “Efeitos do sono na produtividade”, uma hipótese poderia ser: “A falta de sono reduz a produtividade no trabalho”.

Entende como é uma afirmação? Quer se aprofundar? Leia: TUDO SOBRE HIPÓTESE NO ARTIGO CIENTÍFICO: EXEMPLOS E DICAS

A Seleção de Amostra em uma Pesquisa Empírica

A seleção de uma amostra adequada é crucial para a validade da pesquisa.

A amostra deve ser representativa da população que você deseja estudar.

Há várias técnicas de amostragem, como amostragem aleatória, amostragem estratificada e amostragem por conveniência.

  • Amostragem Aleatória: Este é o método mais simples e mais utilizado em Pesquisa Empírica. Nele, cada membro da população tem uma chance igual de ser selecionado para a amostra. Isso minimiza o viés e torna os resultados mais generalizáveis para a população como um todo.

  • Amostragem Estratificada: Neste método, a população é dividida em subgrupos ou “estratos” com base em uma característica específica, como idade, gênero ou etnia. Em seguida, amostras aleatórias são retiradas de cada estrato. Isso garante que a amostra seja representativa em relação à característica escolhida, permitindo análises mais detalhadas.

  • Amostragem por Conveniência: Este método é frequentemente utilizado quando não é prático ou possível obter uma amostra aleatória. A amostra é escolhida com base na conveniência, como a facilidade de acesso aos participantes. Embora seja o método menos rigoroso, ele é útil para estudos exploratórios ou quando a generalização dos resultados não é uma preocupação primária.

A escolha do método depende do objetivo da pesquisa e dos recursos disponíveis. É vital considerar o tamanho da amostra, sabe o motivo?

Uma amostra muito pequena pode não fornecer resultados confiáveis, enquanto uma muito grande pode ser impraticável em termos de tempo e recursos.

Os Métodos de Coleta de Dados para pesquisas empíricas

A coleta de dados é o coração da Pesquisa Empírica.

Os métodos comuns incluem questionários, entrevistas, observações e análise de documentos.

Cada método tem suas vantagens e desvantagens, e a escolha deve ser baseada nas necessidades específicas da pesquisa.

Quer um exemplo para ficar mais fácil?

Por exemplo, questionários são úteis para coletar dados quantitativos, enquanto entrevistas e observações são mais adequadas para dados qualitativos.

É crucial que os instrumentos de coleta de dados sejam validados para garantir que sejam confiáveis e precisos.

→ Aprenda mais lendo: Coleta de Dados: Conheça os Tipos e Indicações para Pesquisas Científicas

Análise de Dados em pesquisas empíricas

Após a coleta de dados, o próximo passo é a análise.

Se os dados são quantitativos, métodos estatísticos como média, mediana, desvio padrão e testes de hipóteses podem ser utilizados.

Para dados qualitativos, métodos como análise temática ou análise de conteúdo são comuns.

O objetivo é extrair padrões significativos dos dados coletados.

A análise deve ser conduzida de forma sistemática e objetiva para evitar vieses e resultados tendenciosos.

Além disso, é importante validar os resultados através da triangulação, que envolve o uso de múltiplos métodos ou fontes de dados para confirmar as descobertas.

.

Resumindo, a realização de uma Pesquisa Empírica de qualidade é um processo complexo que requer planejamento cuidadoso, seleção rigorosa de amostra, coleta de dados meticulosa e análise robusta.

Deu para perceber, não é?

Cada etapa tem seu próprio conjunto de desafios e melhores práticas, e é crucial que o pesquisador esteja ciente deles para garantir a validade e a confiabilidade dos resultados.

Aprenda mais sobre tipos de metodologias no texto: GUIA COMPLETO DE METODOLOGIA PARA ARTIGO CIENTÍFICO

2 Exemplos Práticos de Pesquisas Empíricas para direito e educação

Exemplos de 2 casos reais de Pesquisa Empírica para usar de modelo
Exemplos de Pesquisa Empírica em dois diferentes campos

Entender a teoria e os métodos é crucial, mas nada substitui exemplos de Pesquisa Empírica para ilustrar esses conceitos em ação.

Apresentaremos exemplos reais de Pesquisas Empíricas em dois diferentes campos de estudo. Mas não quer dizer que se você é de outra área, não vai entender como aplicar a ideia para sua pesquisa.

Seja ela uma monografia, um artigo científico ou mesmo um projeto de pesquisa empírico! Esses casos não apenas demonstram a aplicabilidade e versatilidade da Pesquisa Empírica, mas também oferecem ideias valiosas sobre como conduzir sua própria pesquisa.

Vamos explorar dois exemplos distintos: um na área da educação, focando no impacto de métodos pedagógicos no desempenho acadêmico, e outro na área do direito, examinando como diferentes sistemas legais afetam as taxas de condenação.

Cada um dos dois exemplos será analisado em detalhes, abordando desde a formulação da hipótese até a análise dos resultados.

Ao analisar esses exemplos, observe como cada etapa da pesquisa é conduzida e como os desafios são abordados.

Isso não apenas reforçará seu entendimento da Pesquisa Empírica, mas também fornecerá um modelo prático que você pode adaptar para suas próprias necessidades de pesquisa.

Vamos aos exemplos?

Pontos de atenção ao escrever uma Pesquisa Empírica

As dificuldades e obstáculos em Pesquisa Empírica
Soluções para problemas comuns em Pesquisa Empírica

A realização de Pesquisas Empíricas não está isenta de desafios, que podem variar desde questões metodológicas até limitações práticas.

Um dos desafios mais comuns é a seleção de uma amostra representativa.

Sim, uma amostra inadequada pode comprometer a generalização dos resultados em uma pesquisa empírica.

A solução para este problema passa por uma cuidadosa definição dos critérios de inclusão e exclusão e pela utilização de métodos de amostragem rigorosos.

 

Quer ver outro desafio?

Preste atenção na coleta de dados.

Erros na coleta podem introduzir vieses tendenciosos que distorcem os resultados.

A utilização de instrumentos de coleta de dados validados e treinamento rigoroso dos coletadores de dados são estratégias eficazes para mitigar este problema.

 

Além disso, a análise de dados também apresenta seus próprios desafios, como a escolha dos métodos estatísticos adequados e a interpretação correta dos resultados.

A consulta a estatísticos ou especialistas no campo pode ser uma solução valiosa para esses desafios.

Validade e confiabilidade na pesquisa empírica

A validade e a confiabilidade são dois pilares fundamentais para qualquer Pesquisa Empírica.

A validade refere-se à precisão com que os resultados da pesquisa refletem a realidade que se pretende medir.

Isso pode ser assegurado através da utilização de instrumentos de medição validados e da seleção cuidadosa da amostra.

E a confiabilidade, por outro lado, diz respeito à consistência dos resultados quando a pesquisa é replicada em condições semelhantes.

Para garantir a confiabilidade, é crucial que cada etapa da pesquisa – desde a coleta até a análise dos dados – seja conduzida de forma rigorosa e padronizada.

 

Ambos, validade e confiabilidade, são interdependentes e devem ser considerados em todas as fases da pesquisa, desde o planejamento até a divulgação dos resultados.

A utilização de métodos rigorosos, a revisão por pares e a transparência na divulgação dos métodos e resultados são práticas recomendadas para assegurar a validade e a confiabilidade da pesquisa.

Você gostou de nosso guia? E dos Exemplos? Considere nos auxiliar compartilhando este conteúdo!

Aproveite nossos outros artigos abaixo e boa pesquisa.

Usamos cookies para uma melhor experiência em nosso site. Você pode aceitar nossos termos ou saber mais sobre nossa Política de Privacidade e de Cookies. We are committed to protecting your privacy and ensuring your data is handled in compliance with the General Data Protection Regulation (GDPR).